Freguesia


 

Locais de interesse


A Torre Sineira
Simboliza a cultura religiosa dos que nos precederam, a sua pobreza artística reproduz fielmente séculos de uma cultura fechada e enraizada à volta da Igreja.Esta torre da qual se desconhece a idade já é referenciada no ano de 1907, na imprensa local. Saliento também que apesar da sua demolição após o 25 de Abril de 1974, está a ser actualmente reconstruída, para assim permanecer como fiel testemunho para as gerações vindouras.

O Rio Paiva
Canelas é banhada ao fundo pelo Rio Paiva e mais uma vez se pode gabar da sorte que a mãe Natureza lhe atribuiu. Foi até há bem pouco tempo, força motriz de moinhos de rodízio e de engenhos de linho. O rio teve e tem grande importância na vida das gentes de Canelas.No lugar do Vau, houve um barco e um barqueiro que efectuavam a travessia de pessoas e bens para a outra margem, foi também desde tempos muito recuados rico em peixe e nas suas margens viveram pescadores de fama.

Praias Fluviais:
"Vau" e "Porto Chão" que no Verão são muito concorridas por serem optimos locais de repouso, onde se pode nadar nas suas límpidas águas.o "Areínho" recebeu recentemente o galardão de Bandeira Azul, esta praia sofreu uma reestruturação tendo na sua envolvente facilidades que tem objectivo tornar a vida aos veraneantes mais facilitada.

Desportos Radicais:
Desportos Radicais no Rio Paiva recentemente o Rio Paiva foi descoberto como um paraíso para a prática de desportos radicais. No Inverno quando o rio vai mais caudaloso vêm aficcionados destes desportos de todo o país fazerem as descidas nas suas águas bravas.

As Trilobites
Bem merecem um lugar de destaque, são talvez o melhor achado paleontológico que uma pobre freguesia poderia ter. Do seio das suas montanhas são extraídas as finas lousas que cobrem as casas da região e de outras bem mais distantes. E no meio dessas lousas aparecem preciosos vestígios de animais marinhos fossilizados que viveram há cerca de 490 milhões de anos.Segundo os maiores especialistas da actualidade que visitam o local frequentemente, os exemplares encontrados em Canelas são os maiores do mundo. Estudados no início deste século pelo grande paleontólogo Nery Delgado e na década de cinquenta por Décio Thadeu.Está actualmente exposta no Convento de Arouca uma preciosa colecção de raros exemplares que foram recolhidos ao longo de dez anos pela empresa exploradora das lousas de Canelas.

Capela de Nossa Senhora dos Anjos
Tem esta freguesia uma capela dedicada à Senhora dos Anjos cuja construção consta do inventário da freguesia:«No ano de 1874 no sítio da Portela do Paúlos, no Lugar de Baixo, desta Freguesia de Canelas, mandou fazer Custódio Soares da Costa, da Casa da Sobreira lavrador uma capela dedicada a Nossa Senhora dos Anjos, a qual capela ele principiou a fazer a tantos de Abril do dito ano e acabou a tantos de Março do ano de 1875, fazendo toda esta obra à sua custa, sem receber esmola alguma e ninguém para ela em razão de cumprir um voto que tinha feito à dita senhora por causa de uma moléstia que padecia, e contudo morreu a 6 de Maio do ano de 1875, ficando ainda a capela por benzer, a qual foi benzida no primeiro de Agosto do dito ano, ficando os seus herdeiros sempre sujeitos e obrigados aos reparos da dita capela, quando ela precisar deles em razão de lhe pertencer. E para constar fiz, este termo aos 14 dias do mês de Março de 1876 ». O pároco, Manuel Joaquim Soares de Figueiredo.

Minas de Volfrâmio
A exploração do volfrâmio na zona do "Cabeço do Pereiro", teve também grande relevo a partir do início deste século que teve o seu apogeu na época das duas grandes guerras Mundiais. Entrando depois em decadência na década de cinquenta, provocou falsas fortunas e destroçou muitos lares. Os mineiros morriam após alguns anos de intenso trabalho no interior das minas, vitimados pela terrível doença da celicose.Quando acaba o volfrâmio iniciam-se as plantações dos eucaliptos, que é sem duvida hoje uma grande fonte de rendimento para todos quantos possuem terrenos florestados.Contestados por uns, louvados por outros, os eucaliptos são a maior riqueza de todo o Concelho de Arouca.

Centro de Interpretação geológica de Canelas
Este centro foi inaugurado no dia 1 de Julho de 2006.Localizado na exploração de ardósias da empresa Valério & Figueiredo, Lda., esta infra-estrutura alberga um raro e valioso Património Geológico, resgatado durante os últimos 15 anos e formado por fósseis de invertebrados do Ordovícico Médio (cerca de 465 milhões de anos). Entre estes destacam-se algumas das maiores, mais raras e até únicas espécies de trilobites do mundo, razão pela qual esta jazida fossilífera é referenciada internacionalmente.A recuperação e protecção deste património geológico de inegável valor, são hoje consideradas unanimemente pela comunidade científica um novo paradigma de cooperação entre a indústria extractiva e a ciência, sendo a informação cientifica entretanto obtida disponibilizada agora à população estudantil e ao grande público, através do novo Centro de Interpretação Geológica de Canelas (CIGC).

Interpretação Vilarinho - esta aldeia é referenciada em documentos, o que prova a sua existencia anterior à nossa nacionalidade, estes documentos que referenciam o lugar de " Vilarinho " nesta Freguesia de Canelas estão datados do ano de 883. Interpretação

Gamarão de Baixo

Mealha

Passadiço do Paiva
Os Passadiços do Paiva, numa distância de 8km´s são hoje uma nova realidade desta freguesia.
Ao longo deste percurso, integrado na Rede Natura 2000 podemos observar a Geodiversidade e a Biodiversidade.
O Rio Paiva com as suas águas bravas, proporciona o desporto radical, tão em voga nestes tempos.
Os já famosos passadiços do Paiva, estão entrelaçados entre três das melhores praias fluviais – Espiunca, Vau e Areinho e são hoje percorridas por milhares de turistas vindos de todos os pontos do país. Nesta altura começam a florescer os negócios e o que se aplaude e justifica.
Sabemos que esta freguesia, para além das famosas trilobites é hoje um novo paraíso, que se transformou na autarquia mais visitada do país.

Rota do Xisto Rota dos Aroma

O Museu das trilobites

As igrejas e capelas existentes: Igreja Matriz de Canelas; Igreja Matriz de Espiunca; Capela de Nossa Senhora dos Anjos;

Capela do Senhor dos Enfermos

Capela de São Plágio

Os Moinhos de Espiunca

As minas de Canelas

A freguesia de Espiunca é muito rica do ponto de vista turístico, sendo o Rio Paiva, Moinhos Tradicionais Milho e Linho e as celebrações religiosas, pontos de “passagem obrigatória” dos “forasteiros” que nos visitam.

O Rio Paiva é a de atracção turística não só da freguesia de Espiunca, como de todo o concelho de Arouca, tendo a particularidade de ser procurado ao longo de todo o ano. Na época de inverno a bravura das águas faz as delícias dos amantes dos desportos radicais, sendo Espiunca um ponto muito importante para os praticantes destes desportos dado que se trata de um local de embarque e desembarque.

No verão a freguesia de Espiunca é visitada por centenas de turistas que “trocam” a confusão das praias pelas límpidas e calmas águas do Paiva. As suas margens permitem ainda que se disfrute de um merecido descanso e se realizem inesquecíveis piqueniques.

Outro ponto de muita riqueza turística da freguesia e que se encontra no lugar de Espiunca, são os Moinhos Tradicionais Milho e Linho que representam muito da riqueza cultural do concelho, o que motiva a visita de todos aqueles que se interessam por recordar as antigas tradições da região.

Outro ponto de muito interesse na freguesia de Espiunca, são as várias festividades que nela se realizam, com especial relevo para as festividades de S. Martinho, Senhor dos enfermos e S. Plagio.

O Senhor dos enfermos tem a sua capelinha no lugar de Serabigões e é celebrado no dia de Pentecostes (50 dias depois do domingo de Páscoa). É uma romaria comemorada de forma muito simples, sendo o lugar de Serabigões, nestes dias, muito visitado por peregrinos que vêm cumprir promessas ou agradecer ao “senhor dos doentes”. http://pt.wikipedia.org/wiki/Pentecostes (este link vai pra a historia no wikipedia do Pentecostes).

Outra festividade da freguesia é o S. Pelágio no lugar de Vila Viçosa, sendo o seu “verdadeiro dia” 26 de Junho, dia que é marcado com a realização de uma procissão. A romaria decorre no segundo fim-de-semana de Julho e é comemorada de forma muito entusiasta pelas gentes locais, sendo a festividade acompanhada por um grandioso programa de festas.